Arquivo de Publicações - Página 3 de 36 - CEsA

Diálogos de Campo – Pesquisas de Campo Participativas em Debate


Resumo:

Este volume reúne inquietações que servem de base para um debate continuado sobre as mútuas implicações de uma pesquisa no campo das Ciências Sociais. Os textos partem da constatação comum sobre o enfraquecimento das exigências em relação ao “como fazemos” em pesquisa social e tratam de aspetos relativos ao trabalho de campo que cada vez mais vai perdendo espaço na academia, essencialmente focada na produção de resultados. A partir dos campos das Ciências Sociais, Cinema, Literaturas, Psicologia entre outros, os temas transitam entre as dimensões das hierarquias de poder na pesquisa e os contextos que as exponenciam; a posição e posicionalidade do pesquisador e onde somos colocados pelos nossos interlocutores ou pessoas das situações abordadas. Especificamente, refletem sobre metodologias participativas e as mudanças na produção de conhecimento; a etnografia e a descolonização epistémica quando o investigador faz pesquisa no seu próprio contexto de vida; as interferências e determinações ditadas pelo campo, no percurso de uma pesquisa; a investigação colaborativa ou participativa seja com associações de refugiados, no campo da formação artística ou a investigação-ação sobre bicicletas e a cidade. Além disso, aborda-se a subjetividade do/da pesquisador(a) e a escrita a propósito do cinema antirracista; as implicações dos próprios investigadores em pesquisas de temas como o impacto da pandemia entre mulheres, o património cultural ou um objeto presente, em simultâneo, em diferentes continentes. Estão presentes as questões clássicas do debate sobre a metodologia que são, de fato, os alicerces de uma atualidade, trazendo diversas nuances do debate contemporâneo, em pesquisa social, num tempo em que o acesso mais facilitado à informação reduz a distância e o acesso da sociedade (e os sujeitos das pesquisas sociais) ao conhecimento sobre si produzido na academia. Este livro foi pensado no âmbito das oficinas de metodologia do projeto Afro-Port (FCT/CEsA) e coincide com o objetivo do projeto de contribuir para um programa em metodologia horizontal e grounded methodology original, inovativo e transdisciplinar, sustentado no interesse pelo diálogo entre académicos e não-académicos/discurso científico e não-científico.

Citação:

Évora, I. e Amorim, S. (2023). “Diálogos de Campo – Pesquisas de Campo Participativas em Debate”. Lisboa, CEsA/CSG. ISBN 978-989-54687-4-4

Working Paper 195/2023: How Does Violent Extremism Influence Ethnic Identities? A Preparatory Study Of Mali


Resumo:

Como é que o extremismo violento afeta a identidade étnica das pessoas? Embora exista uma vasta investigação sobre o extremismo violento, que tem vindo a aumentar em África nos últimos anos, incluindo avaliações das suas origens, da coalescência de vários movimentos e das operações militares, a investigação sobre o seu impacto na identidade étnica e o comportamento político relacionado com isso continua a ser limitada. Este artigo analisa como as perceções políticas e respetivos comportamentos políticos relacionados com a identidade étnica evoluíram durante o período de expansão significativa do extremismo violento no Mali nos últimos anos.

Citação:

Hanaoka, Shigeyuki (2023). “How Does Violent Extremism Influence Ethnic Identities? A Preparatory Study Of Mali”. CEsA/CGS – Documentos de trabalho nº 195/2023

A Entrevista e os Estudos das Literaturas Africanas em Português


Resumo:

Este artigo defende que os livros de entrevistas fazem parte, “de pleno direito”, da história e da biblioteca crítica das literaturas africanas de língua portuguesa. Referimo-nos, em particular, à coleção de entrevistas Encontros com escritores de Michel Laban, publicada entre 1991 e 2002, e ao volume de depoimentos de escritores moçambicanos Vozes moçambicanas. Literatura e nacionalidade de Patrick Chabal, publicado em 1994. Trata-se de contribuições incontornáveis para a construção dos estudos das literaturas africanas de língua portuguesa que veicularam importantes mapeamentos dos espaços literários nacionais africanos. Partindo de uma introdução sobre a entrevista literária, procura-se compreender de que modo estes investigadores conceberam a entrevista como forma de construção do conhecimento em contextos literários e culturais periféricos, emergidos da dominação colonial. Consideram-se também outras experiências análogas e mais recentes para se refletir sobre a atual relevância da entrevista nos estudos destas literaturas.

 

Citação:

FALCONI, J. A entrevista e os estudos das literaturas africanas em português. Revista Mulemba, v. 15, n. 28, p. 24-45, 2023. doi: https://doi.org/10.35520/mulemba.2023.v15n28a56710

Farming System Change Under Different Climate Scenarios and its Impact on Food Security: an analytical framework to inform adaptation policy in developing countries


Resumo:

Os países em desenvolvimento são considerados extremamente vulneráveis às alterações climáticas, devido ao seu contexto socioeconómico (elevados níveis de pobreza) e à elevada dependência dos seus meios de subsistência dos recursos naturais. As zonas rurais destes países concentram a maior parte das pessoas mais pobres e com insegurança alimentar do mundo, estando os agricultores entre os mais vulneráveis às alterações climáticas. Prevê-se que os impactos das alterações climáticas sejam espacialmente heterogéneos. Neste sentido, este artigo visa explorar o efeito directo e marginal das alterações climáticas na escolha do sistema agrícola e as suas implicações para a segurança alimentar em Moçambique, utilizando uma abordagem espaço-por-tempo. Os nossos resultados sugerem que são esperadas grandes mudanças na escolha do sistema agrícola e na sua distribuição espacial devido às alterações climáticas, o que terá potencialmente impacto nos meios de subsistência e no estado de segurança alimentar dos pequenos agricultores. Os sistemas agrícolas, incluindo culturas alimentares/de rendimento e/ou pecuária, que estão entre os mais seguros em termos alimentares, tenderão a ser substituídos por outros sistemas em todos os cenários climáticos. Os sistemas agrícolas mistos (incluindo alimentação e pecuária) e os sistemas orientados para a pecuária, na sua maioria inseguros em termos alimentares, predominantes em zonas áridas, deverão expandir-se com as alterações climáticas. Os mapas de stress da segurança alimentar e da inovação foram esboçados a partir dos resultados da modelização, identificando áreas prioritárias para intervenção pública. Destacamos também como a nossa abordagem pode ser um quadro eficaz e facilmente replicável para abordar este tipo de questões noutras regiões em desenvolvimento que enfrentam problemas semelhantes.

Citação:

Abbas, M., Ribeiro, P.F. & Santos, J.L. Farming System Change Under Different Climate Scenarios and its Impact on Food Security: an analytical framework to inform adaptation policy in developing countries. Mitig Adapt Strateg Glob Change 28, 43 (2023). https://doi.org/10.1007/s11027-023-10082-5

História de São Tomé e Príncipe de Meados do Século XIX ao Fim do Regime Colonial (1852-1974): As plantações, economia, cultura e religião


Resumo:

Este livro explica as razões que levaram os portugueses a recolonizar as ilhas São Tomé e Príncipe a partir de 1852 e as estratégias que adotaram para institucionalizar a nova ordem colonial no arquipélago. Afastaram os nativos da posse das terras e das instituições e introduziram o modelo de economia da plantação em torno da qual toda a vida económica e social passou a girar, ficando o território dividido entre as populações das grandes plantações e as populações nativas. O trabalho e a terra foram explorados até à exaustão, com maus-tratos e a discriminação racial, e a queda progressiva da produtividade dos solos. A crise de produção surgiu e pôs a nu os limites do modelo de economia da plantação. Ocorreram várias tentativas de contratação forçada da mão-de-obra nativa que geraram muitos conflitos e conduziram ao massacre de “Batepá” de 1953. Este acontecimento fez despertar a consciência dos nacionalistas pela independência do arquipélago, que ocorreu em 12 de julho de 1975. O livro aborda também a cultura e religião como elementos centrais modeladores da sociedade e identidade são-tomenses.

Citação:

Espírito Santo, A. (2023). História de São Tomé e Príncipe – De Meados do Século XIX ao Fim do Regime Colonial (1852-1974): As plantações, economia, cultura e religião. Lisboa: Nimba Edições.

Human Branding: From attachment strength to loyalty


Resumo:

A marca humana está em toda parte e dentro de cada indivíduo. Com o aumento da importância da tecnologia e das redes sociais, o human branding torna-se cada vez mais relevante, mas ainda é um conceito de branding com muito espaço para explorar. Celebridades, como atores e atletas, são os maiores exemplos de marcas humanas e, com as redes sociais, a gestão da imagem pública é a chave para o sucesso. Este estudo tem como objetivo analisar o processo pelo qual a força do apego influencia a lealdade por meio do envolvimento íntimo e público. Assim, uma amostra de 321 participantes, recolhida através de plataformas de redes sociais, permitiu-nos tratar os dados e testar as hipóteses do modelo proposto. O relacionamento é o motor mais relevante da força do apego e do fluxo do apego à lealdade através do envolvimento público.

 

Citação:

Loureiro, Sandra Maria Correia … [et al.] (2023) “Human branding: from attachment strength to loyalty”. Journal of Marketing Communications, DOI: 10.1080/13527266.2023.2245826

Portugal’s Inequality Regime: Many contradictions, multiple pressures


Resumo:

Este artigo aplica o conceito de regime de desigualdade, na tradição da Escola da Regulação, à análise dos padrões e motores da desigualdade socioeconómica em Portugal nas últimas décadas. Os principais padrões empíricos são identificados no que diz respeito à desigualdade de rendimentos, rendimentos superiores e inferiores, desigualdade de riqueza, pobreza monetária e fornecimento não mercantilizado de bens básicos. Em seguida, discutimos vários processos e mecanismos subjacentes, nomeadamente a relação capital-trabalho, as lutas de classificação, a financeirização, a redistribuição e o bem-estar, para explicar os padrões empíricos identificados. Concluímos que o regime de desigualdade de Portugal é notavelmente contraditório e argumentamos que o sucesso do país na redução da maioria das medidas de desigualdade nos últimos tempos é especialmente vulnerável a uma variedade de pressões.

 

Citação:

Abreu, A. (2023). “Portugal’s Inequality Regime: Many contradictions, multiple pressures”. Revista Crítica de Ciências Sociais, 130:127-156

Tourism Competitiveness in Cape Verde: The case of Tarrafal/Santiago


Resumo:

O estudo da competitividade tem ganhado cada vez mais importância nas últimas décadas. O Governo de Cabo Verde elegeu o Tarrafal como pólo de desenvolvimento da competitividade turística. Dado que a validação empírica da competitividade de Cabo Verde ainda é deficitária, a presente investigação visa analisar os determinantes da vantagem competitiva do turismo no Tarrafal. Para atingir este objetivo, foi adotada uma metodologia qualitativa baseada numa amostra dos 136 principais players da área do turismo e na criação de quatro grupos de trabalho durante as Jornadas Técnicas do Tarrafal (1 e 2 de julho de 2022) para melhor discutir estas questões. A discussão das conclusões finais de cada grupo de trabalho permitiu sistematizar algumas das principais alternativas de desenvolvimento do Tarrafal como pólo turístico estratégico. Foram também apresentadas implicações importantes para os gestores, tais como a importância de desenvolver e reforçar as tradições culturais, reforçar o empreendedorismo de forma a maximizar o valor da cadeia turística através da implementação de melhores infra-estruturas (melhores estradas, um porto marítimo e um aeródromo), diversificar a oferta turística assenta em diferentes segmentos (cultura, natureza, desporto, eventos, teletrabalho entre outros) e beneficia outras regiões e concelhos do concelho.

 

Citação:

Sarmento, Eduardo Moraes e José Luís Mascarenhas Monteiro (2023). ” Tourism competitiveness in Cape Verde : the case of Tarrafal/Santiago”. Revista Turismo & Desenvolvimento, 42:117-132

Exploring Co-creation Process in the Wineries: The relevance of social partner characteristics


Resumo:

Num mercado global, a troca é considerada como um dos recursos estratégicos mais importantes e críticos para o sucesso das empresas (Hammervoll 2012; Johnson 1999; Powers e Reagan 2007). Por conseguinte, não é de surpreender que produtores, distribuidores, retalhistas, clientes e até concorrentes unam forças para co-criar soluções de valor. Com o ambiente empresarial a tornar-se mais competitivo, a perspetiva diádica das relações entre compradores e vendedores está a aumentar. Os parceiros devem preocupar-se em unir forças e trabalhar em conjunto para melhorar o seu desempenho conjunto e acrescentar valor às suas ofertas (Cannon et al. 2010). Em suma, o sucesso de uma empresa pode ser influenciado pelo estilo da relação que é desenvolvida com outros atores (Arranz e de Arroyabe 2012; Cunha, Loureiro, e Rego 2015a; Monteiro, Guerreiro e Loureiro 2019; Terpend e Ashenbaum 2012). No seguimento deste apelo à investigação, este capítulo tem como objetivo explorar a forma como os distribuidores e produtores de vinho descrevem as capacidades sociais pessoais e organizacionais como facetas facilitadoras da qualidade da relação (QR) (é uma questão que depende da confiança, satisfação, compromisso e confiança). O sector do vinho foi escolhido como campo de investigação porque tem características únicas que ainda não foram profundamente estudadas e que podem explicar as especificidades da gestão: 1 Portugal é um país vinícola antigo, cheio de tradição e património, “no qual a cultura do vinho floresce há séculos” (Loureiro e Kaufmann 2012, p. 331). 2 O sector vitivinícola não foi profundamente analisado e estudado em pesquisas anteriores. 3 Este sector desempenha um papel importante na economia nacional, e o reconhecimento da qualidade do trabalho realizado neste sector está a ser aclamado internacionalmente. O presente capítulo está organizado da seguinte forma: após esta introdução ao nosso tema de investigação, apresentamos a fundamentação teórica que sustentou este estudo, seguida de uma descrição da metodologia. As secções seguintes discutem os resultados do estudo empírico e e são discutidas as implicações deste estudo para os gestores. Por último, são sugeridas limitações e novas direções de investigação.

 

Citação:

Sarmento, E. M, Loureiro, S. M. C., and Cunha, N. Exploring Co-creation Process in the Wineries: The relevance of social partner characteristics. In: Dixit, S.K. (Ed.). (2022). Routledge Handbook of Wine Tourism. Routledge. https://doi.org/10.4324/9781003143628

Lições de macroeconomia: uma introdução


Resumo:

O livro que agora se publica, sob a forma de lições de macroeconomia, é o resultado de 3 anos de trabalho na lecionação da disciplina de Economia II, das licenciaturas em Economia, Matemática Aplicada à Economia e à Gestão e Estudos Gerais, do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa. Estas Lições de Macroeconomia são o resultado de uma experiência pedagógica de lecionação de uma disciplina de nível introdutório e do objetivo de facilitar a transmissão de conhecimentos de uma matéria que não deixa de ser complexa, mas que é indispensável na formação de qualquer economista ou gestor. A abordagem apresentada neste livro reflete três opções metodológicas que visam torná-lo mais atrativo e de utilização amigável para os seus leitores. A primeira é a procura da maior clareza e simplificação possível na apresentação de conceitos e teorias. A segunda, é o propósito de fazer compreender a distinção entre modelo da realidade e realidade. A terceira, é a inclusão da realidade económica portuguesa em praticamente todos os capítulos, seja como referência para a discussão de conceitos, que adquirem por esta via uma dimensão concreta e quantificada, seja como objeto específico de análise macroeconómica. Destinando-se prioritariamente a estudantes que iniciam a sua formação universitária, estas Lições não deixam de ir mais além, no tratamento das questões, podendo ser úteis a todos aqueles que, independentemente dos motivos, pretendam adquirir uma visão introdutória da análise macroeconómica contemporânea.

 

Citação:

Mendonça, António (Coordenador) e Vitor Magriço … [et al.] .(2021) . “Lições de macroeconomia: uma introdução”. Edições Silabo, Lisboa: p. 451.


ISEG - Lisbon School of Economics and Management

Rua Miguel Lupi, nº20
1249-078 Lisboa
Portugal

  +351 21 392 5983 

   comunicacao@cesa.iseg.ulisboa.pt