Arquivo de Tourism - CEsA

Tourism

Tourism Competitiveness in Cape Verde: The case of Tarrafal/Santiago


Resumo:

O estudo da competitividade tem ganhado cada vez mais importância nas últimas décadas. O Governo de Cabo Verde elegeu o Tarrafal como pólo de desenvolvimento da competitividade turística. Dado que a validação empírica da competitividade de Cabo Verde ainda é deficitária, a presente investigação visa analisar os determinantes da vantagem competitiva do turismo no Tarrafal. Para atingir este objetivo, foi adotada uma metodologia qualitativa baseada numa amostra dos 136 principais players da área do turismo e na criação de quatro grupos de trabalho durante as Jornadas Técnicas do Tarrafal (1 e 2 de julho de 2022) para melhor discutir estas questões. A discussão das conclusões finais de cada grupo de trabalho permitiu sistematizar algumas das principais alternativas de desenvolvimento do Tarrafal como pólo turístico estratégico. Foram também apresentadas implicações importantes para os gestores, tais como a importância de desenvolver e reforçar as tradições culturais, reforçar o empreendedorismo de forma a maximizar o valor da cadeia turística através da implementação de melhores infra-estruturas (melhores estradas, um porto marítimo e um aeródromo), diversificar a oferta turística assenta em diferentes segmentos (cultura, natureza, desporto, eventos, teletrabalho entre outros) e beneficia outras regiões e concelhos do concelho.

 

Citação:

Sarmento, Eduardo Moraes e José Luís Mascarenhas Monteiro (2023). ” Tourism competitiveness in Cape Verde : the case of Tarrafal/Santiago”. Revista Turismo & Desenvolvimento, 42:117-132

Exploring Co-creation Process in the Wineries: The relevance of social partner characteristics


Resumo:

Num mercado global, a troca é considerada como um dos recursos estratégicos mais importantes e críticos para o sucesso das empresas (Hammervoll 2012; Johnson 1999; Powers e Reagan 2007). Por conseguinte, não é de surpreender que produtores, distribuidores, retalhistas, clientes e até concorrentes unam forças para co-criar soluções de valor. Com o ambiente empresarial a tornar-se mais competitivo, a perspetiva diádica das relações entre compradores e vendedores está a aumentar. Os parceiros devem preocupar-se em unir forças e trabalhar em conjunto para melhorar o seu desempenho conjunto e acrescentar valor às suas ofertas (Cannon et al. 2010). Em suma, o sucesso de uma empresa pode ser influenciado pelo estilo da relação que é desenvolvida com outros atores (Arranz e de Arroyabe 2012; Cunha, Loureiro, e Rego 2015a; Monteiro, Guerreiro e Loureiro 2019; Terpend e Ashenbaum 2012). No seguimento deste apelo à investigação, este capítulo tem como objetivo explorar a forma como os distribuidores e produtores de vinho descrevem as capacidades sociais pessoais e organizacionais como facetas facilitadoras da qualidade da relação (QR) (é uma questão que depende da confiança, satisfação, compromisso e confiança). O sector do vinho foi escolhido como campo de investigação porque tem características únicas que ainda não foram profundamente estudadas e que podem explicar as especificidades da gestão: 1 Portugal é um país vinícola antigo, cheio de tradição e património, “no qual a cultura do vinho floresce há séculos” (Loureiro e Kaufmann 2012, p. 331). 2 O sector vitivinícola não foi profundamente analisado e estudado em pesquisas anteriores. 3 Este sector desempenha um papel importante na economia nacional, e o reconhecimento da qualidade do trabalho realizado neste sector está a ser aclamado internacionalmente. O presente capítulo está organizado da seguinte forma: após esta introdução ao nosso tema de investigação, apresentamos a fundamentação teórica que sustentou este estudo, seguida de uma descrição da metodologia. As secções seguintes discutem os resultados do estudo empírico e e são discutidas as implicações deste estudo para os gestores. Por último, são sugeridas limitações e novas direções de investigação.

 

Citação:

Sarmento, E. M, Loureiro, S. M. C., and Cunha, N. Exploring Co-creation Process in the Wineries: The relevance of social partner characteristics. In: Dixit, S.K. (Ed.). (2022). Routledge Handbook of Wine Tourism. Routledge. https://doi.org/10.4324/9781003143628

Estudo da cadeia de valor do setor do turismo em Angola – 1ª Edição


Resumo:

O turismo tem crescido de forma sustentada a nível internacional quer em termos do número de turistas quer em termos de receitas geradas. Todavia, Angola não tem acompanhado esta tendência não sendo pois estranho que o peso do turismo no PIB do País seja reduzido (menos de 1% em 2018). Esta situação é tanto mais grave quanto os países da região apresentam todos uma contribuição do turismo no PIB bastante superior a Angola. O objectivo deste relatório passa por identificar as principais fragilidades da cadeia de valor que está na base da actividade turística e propor um conjunto de medidas e recomendações a serem implementadas no âmbito do PRODESI.

Citação:

Sarmento, Eduardo Moraes e PAHL Consulting (2020). Estudo da cadeia de valor do sector do turismo em Angola. Volume 1. Banco Africano de Desenvolvimento e Ministério da Economia e do Planeamento.

Tourism Master Plan for the Island of Santiago - Part2

Working Paper 193/2023: Tourism Master Plan for the Island of Santiago, Cape Verde: 2020-2030 – Part 2


Resumo:

Cabo Verde, uma pequena economia de desenvolvimento insular (SIDS), tem sido confrontada e enfrenta vários constrangimentos económicos, sociais e ambientais ao longo da sua história que têm vindo a condicionar a sua estratégia de crescimento. Nos últimos anos, o turismo tem vindo a crescer e a consolidar uma importante contribuição para o desenvolvimento económico, que é observável na evolução do número de noites passadas no país, receitas, número de hóspedes, geração de emprego, e incentivo às exportações, entre outros. O valor acrescentado bruto do turismo tem actualmente um peso que é já superior a 20% do seu PIB (excluindo o período pandémico da COVID-19). Consciente deste potencial, o governo criou condições para uma maior utilização dos seus efeitos como factor de mobilização na economia, como reflectido em vários documentos oficiais de apoio e orientações estratégicas, tais como o Plano Estratégico para o Desenvolvimento Sustentável, e as Principais Opções do Plano Estratégico para o Desenvolvimento Sustentável para a Actividade Turística. O Governo decidiu que cada ilha ou região deveria desenvolver o seu próprio Plano Estratégico de Turismo (Plano Director). Tourism Master Plan For The Island Of Santiago, Cape Verde : 2020–2030 – Part 2 propõe várias reflexões estratégicas principais sobre o Plano Estratégico do Turismo para a Ilha de Santiago, a fim de melhorar a sua competitividade.

 

Citação:

Sarmento, E. M. et al. (2023). “Tourism Master Plan For The Island Of Santiago, Cape Verde : 2020–2030 – Part 2”. Instituto Superior de Economia e Gestão – CEsA/CSG – Documentos de Trabalho nº 193/2023

Tourism Master Plan for the Island of Santiago, Cape Verde: 2020-2030 - Part 1

Working Paper 192/2023: Tourism Master Plan for the Island of Santiago, Cape Verde: 2020-2030 – Part 1


Resumo:

Cabo Verde, uma pequena economia de desenvolvimento insular (SIDS), tem sido confrontada e enfrenta vários constrangimentos económicos, sociais e ambientais ao longo da sua história que têm vindo a condicionar a sua estratégia de crescimento. Nos últimos anos, o turismo tem vindo a crescer e a consolidar uma importante contribuição para o desenvolvimento económico, que é observável na evolução do número de noites passadas no país, receitas, número de hóspedes, geração de emprego, e incentivo à exportação, entre outros. O valor acrescentado bruto do turismo tem actualmente um peso que é já superior a 20% do seu PIB (excluindo o período pandémico da COVID-19). Consciente deste potencial, o Governo criou condições para uma maior utilização dos seus efeitos como factor de mobilização na economia. Assim, vários documentos oficiais de apoio e orientações estratégicas foram aprovados, tais como o Plano Estratégico para o Desenvolvimento Sustentável e as Principais Opções do Plano Estratégico para o Desenvolvimento Sustentável para a Actividade Turística. Foi igualmente decidido que cada ilha ou região deveria desenvolver o seu próprio plano estratégico de turismo (Plano Director). Tourism Master Plan For The Island Of Santiago, Cape Verde: 2020–2030 – Part 1 integra as principais reflexões estratégicas relativas ao Plano Estratégico do Turismo para a Ilha de Santiago. As receitas do turismo na Ilha de Santiago, onde se encontra a capital de Cabo Verde, têm sido muito inferiores aos valores das principais ilhas com um elevado volume de turistas – Sal e Boa Vista. No entanto, o potencial de Santiago é elevado, pelo que é necessário adoptar as medidas correctas necessárias para transformar este potencial em realidade. Assim, este documento apresenta uma visão a curto, médio e longo prazo, com uma proposta de objectivos estratégicos que constituirão a âncora na qual se basearão todas as estratégias e objectivos operacionais que se traduzirão em linhas de acção específicas. Em resumo, este documento propõe uma estratégia baseada numa oferta turística diversificada e diferenciada das outras ilhas do país, que maximiza o seu potencial, contrariando assimetrias regionais e preservando o património histórico e imaterial, bem como os recursos naturais, com o objectivo de que toda a população beneficie do desenvolvimento económico resultante, especialmente os mais desfavorecidos.

 

Citação:

Sarmento, E. M. et al. (2023). “Tourism Master Plan For The Island Of Santiago, Cape Verde: 2020–2030 – Part 1”. Instituto Superior de Economia e Gestão – CEsA/CSG – Documentos de Trabalho nº 192/2023

Study of the value chain of the tourism sector in Angola as an alternative economic, social, and environmental development strategy under the Prodesi programme

Working Paper 190/2023: Study of the value chain of the tourism sector in Angola as an alternative economic, social, and environmental development strategy under the Prodesi programme


Resumo:

Angola tem enfrentado vários problemas económicos e sociais, sendo um dos mais importantes relacionado com a longa tradição de dependência do país em relação ao petróleo como uma importante receita externa. Devido a esta situação, o rendimento do país tem vindo a diminuir e há necessidade de encontrar estratégias alternativas para aumentar a liquidez da economia sem as quais Angola careceria dos fundos necessários para aumentar o investimento e prosseguir com políticas adequadas para combater a exclusão social e erradicar os fluxos de pobreza. Consciente desta situação, o governo implementou o projecto nacional PRODESI, cujo objectivo é acelerar o processo de diversificação da economia da nação. Para tal, o projecto visa promover a produção e exportação nos sectores não petrolíferos, bem como em sectores com um forte potencial de substituição de importações. Uma destas áreas é o turismo, como meio de desenvolver algumas das regiões e províncias do país, e também para beneficiar as populações que vivem em piores condições, diversificando ao mesmo tempo as restrições económicas. O foco das acções no PRODESI prevê que a aceleração da diversificação da economia, quer através da substituição de importações, quer através da diversificação e do aumento das exportações, será direccionada para a produção de bens e serviços ou para a implementação de novas estratégias concebidas para ganhar massa crítica e criar relações intra e intersectoriais, como no caso do turismo. Assim, o objectivo desta investigação é identificar as principais fraquezas da cadeia de valor central do turismo e propor um conjunto de medidas e recomendações a serem implementadas no âmbito do PRODESI. O principal objectivo é assegurar que esta actividade contribua efectivamente para diversificar a economia angolana num caminho sustentável e que ajude a alavancar o aumento da produção nacional de uma forma mais rápida e eficiente, contribuindo assim significativamente para diminuir a dependência das importações e aumentar a base de exportação, o que pode ser alcançado através da adopção de uma estratégia de diversificação, baseada tanto no turismo internacional como nacional. 3 Metodologicamente, foram consultados vários estudos e foram realizadas várias reuniões e visitas de campo aprofundadas, entre Janeiro e Março de 2000, nas províncias de Luanda, Malange, Huíla, e Namibe. Foram realizadas várias entrevistas até 2021 com actores importantes (desde ministros a directores nacionais e outros especialistas) e organizações turísticas (Ministérios, Agências de Viagens e empresários). Estima-se que nos próximos 10 anos a África Subsaariana registará um crescimento do turismo superior à média global, independentemente da pandemia da COVID. Study of the Value Chain of the Tourism Sector in Angola as an Alternative Economic, Social, and Environmental Development Strategy Under the Prodesi Programme concluiu que embora o turismo em Angola ainda enfrente um défice a vários níveis, o país tem no entanto um conjunto de recursos naturais e atributos turísticos que, se devidamente explorados e utilizados, poderiam constituir uma forma alternativa para o desenvolvimento futuro da sociedade angolana. Angola ainda enfrenta receitas turísticas residuais da actividade turística, bem como no total de turistas internacionais, pelo que o governo nacional angolano pode ter uma enorme oportunidade de implementar uma estratégia turística adequada (tanto para fluxos internos como externos), a fim não só de reforçar a sua importância, mas também de beneficiar a população, combater a pobreza e diversificar as actividades económicas, tal como definido na estratégia PRODESI.

 

Citação:

Sarmento, E.M. 2023. “Study of the Value Chain of the Tourism Sector in Angola as an Alternative Economic, Social, and Environmental Development Strategy Under the Prodesi Programme“. Instituto Superior de Economia e Gestão – CEsA/CSG – Documentos de Trabalho nº 190/2023

Exploring the role of norms and habit in explaining proenvironmental behavior intentions in situations of use robots and AI agents as providers in tourism sector

Exploring the Role of Norms and Habit in Explaining Pro-Environmental Behavior Intentions in Situations of Use Robots and AI Agents as Providers in Tourism Sector


Resumo:

Numa situação pandémica, com as alterações climáticas em todo o mundo, são bem-vindos estudos que analisem as mudanças nos padrões de viagem. Exploring the role of norms and habit in explaining proenvironmental behavior intentions in situations of use robots and AI agents as providers in tourism sector combina três teorias para propor um modelo sobre intenções de comportamento pró-ambiental, nomeadamente, a teoria do comportamento planeado, a teoria do valor-crença-norma e a teoria do hábito. Este estudo visa examinar o papel das normas sociais, normas pessoais e força do hábito para explicar as intenções de comportamento pró-ambiental. Os autores recolheram 316 questionários utilizáveis de turistas na conhecida localização turística de Belém, em Lisboa. As normas pessoais foram reveladas como tendo a mais forte associação com intenções de comportamento pró-ambiental, seguidas pela força do hábito. O estudo identificou também diferentes desafios amplos para encorajar comportamentos sustentáveis e utilizá-los para desenvolver novas proposições teóricas e orientações para investigação futura. Finalmente, os autores delinearam como os profissionais que visam encorajar comportamentos de consumo sustentáveis podem utilizar este quadro para alcançar melhores resultados.

 

Citação:

“Sarmento, E., Loureiro, S. (2021). Exploring the role of norms and habit in explaining proenvironmental behavior intentions in situations of use robots and AI agents as providers in tourism sector. Sustainability. 13, 13928. https://doi.org/10.3390/su132413928

Desafios de um pequeno estado insular em desenvolvimento: Cabo Verde

Desafios de um pequeno estado insular em desenvolvimento: Cabo Verde


Resumo:

O objetivo de Desafios de um pequeno estado insular em desenvolvimento: Cabo Verde é apresentar um diagnóstico do turismo em Cabo Verde e apontar os maiores desafios para o desenvolvimento sustentável em Cabo Verde. Para realizar este estudo, realizaram-se 19 entrevistas em profundidade (22 abril e 3 julho 2019) com gestores de diferentes setores em Cabo Verde. Este número de entrevistas permite-nos chegar a conclusões significativas. As autoridades de Cabo Verde devem ter em atenção que as ilhas se deparam com uma série de falta de alojamentos e infraestruturas, pouca diversificação dos produtos turísticos, elevados custos de água e energia, comunicações e infraestruturas além de uma limitada qualidade de formação profissional. In order to achieve a hub economy, Cape Verde needs to implement a strong strategy to capture foreign domestic investment (FDI) supported by a strong diplomatic strategy. Like many other SIDS, Cape Verde suffers from an enormous shortage of capital, technology, qualified human resources, high-level organizational capacity, and markets. FDI brings in resources and, in doing so, has direct, indirect, and induced effects on all sectors of economic and social life, as well as the improvement of macroeconomic variables, like GDP, the balance of payments, employment, income and government revenue.

 

Citação:

Sarmento, E., & Loureiro, S. M. (2021). Desafios de um pequeno estado insular em desenvolvimento: Cabo Verde. Revista Turismo & Desenvolvimento, 36(1), 125-134. https://doi.org/10.34624/rtd.v1i36.4476

Explorando estados emocionais e consumo surpresa como fatores de envolvimento em festivais de música

Explorando estados emocionais e consumo surpresa como fatores de envolvimento em festivais de música


Resumo:

O objetivo de Explorando estados emocionais e consumo surpresa como fatores de envolvimento em festivais de música é explorar a relação entre os estados emocionais dos visitantes e o consumo surpresa com o envolvimento dos visitantes em festivais em Portugal. Uma amostra de questionários utilizáveis permitiu-nos entender que o consumo surpresa e a excitação são fatores muito importantes para envolver os visitantes de festivais de música. O artigo também fornece implicações para a gestão, limitações e pesquisas adicionais. Esta investigação tem contribuído para o campo do turismo e da gestão de eventos, dando uma nova visão para a lacuna encontrada na literatura. Esta investigação proporcionou conhecimentos para as diferentes construções que têm influência no envolvimento dos visitantes no contexto dos festivais de música. Além disso, aqui estão várias áreas relevantes onde este estudo dá um contributo original, por exemplo, ao acrescentar o envolvimento dos visitantes num modelo conceptual no contexto dos festivais de música. Este estudo é um pioneiro na perspectiva dos festivais de música por ter introduzido a variável de envolvimento e estados emocionais e consumo surpreendente como condutores.

 

Citação:

Loureiro, S. M., Silva, S., & Sarmento, E. (2021). Explorando estados emocionais e consumo surpresa como fatores de envolvimento em festivais de música. Revista Turismo & Desenvolvimento, 36(2), 81-89. https://doi.org/10.34624/rtd.v36i2.4478

The Role of Tourism, Trade, Renewable Energy Use and Carbon Dioxide Emissions on Economic Growth: Evidence of Tourism-Led Growth Hypothesis in EU-28

The role of tourism, trade, renewable energy use and carbon dioxide emissions on economic growth: evidence of tourism-led growth hypothesis in EU-28


Resumo:

The Role of Tourism, Trade, Renewable Energy Use and Carbon Dioxide Emissions on Economic Growth: Evidence of Tourism-Led Growth Hypothesis in EU-28 examina os efeitos das energias renováveis, comércio, emissões de dióxido de carbono e turismo internacional no crescimento económico na UE-28, considerando os dados do painel para o período 1995-2014. A investigação encontra os novos determinantes do crescimento económico. Os resultados empíricos encontram o apoio do painel de mínimos quadrados totalmente modificados (FMOLS), painel de mínimos quadrados dinâmicos (DOLS) e efeitos fixos (FE) como técnicas de estimativa. Os resultados econométricos são consistentes com a literatura existente. As variáveis consideradas neste estudo são cointegradas na primeira diferença, como sugerido pelo teste de raiz da unidade de painel. O presente estudo procura fazer avançar o conhecimento dos determinantes do crescimento, prestando atenção ao efeito que tanto o sector do turismo como o da energia exercem sobre o crescimento económico dos países da UE-28. Os resultados empíricos demonstram que a abertura comercial, a chegada de turistas e as energias renováveis encorajam o crescimento económico. Por conseguinte, de acordo com os resultados econométricos, as energias renováveis permitem melhorar a qualidade ambiental. No entanto, as emissões de CO2 estão positivamente correlacionadas com o crescimento económico, mostrando que o crescimento está directamente correlacionado com as alterações climáticas e os gases com efeito de estufa. Os resultados confirmam também a hipótese de crescimento orientado para o turismo (TLGH) para o painel. Finalmente, os resultados empíricos confirmam que a abertura comercial, a utilização de energia e o turismo internacional contribuem para aumentar o crescimento económico. Com base nestas conclusões, são oferecidas mais informações e prescrições políticas na secção final.

 

Citação:

“Balsalobre-Lorente, D., Leitão, N.C. (2020): The Role of Tourism, Trade, Renewable Energy Use and Carbon Dioxide Emissions on Economic Growth: Evidence of Tourism-Led Growth Hypothesis in EU-28. Environmental Science and Pollution Research. Publisher: Springer International Publishing”


ISEG - Lisbon School of Economics and Management

Rua Miguel Lupi, nº20
1249-078 Lisboa
Portugal

  +351 21 392 5983 

   comunicacao@cesa.iseg.ulisboa.pt