Categories
Artigos Publicações

The Impact of Renewable Energy and Economic Complexity on Carbon Emissions in BRICS Countries under the EKC Scheme




Título: The Impact of Renewable Energy and Economic Complexity on Carbon Emissions in BRICS Countries under the EKC Scheme

Autor(es): Nuno Carlos Leitão, Daniel Balsalobre-Lorente e José María Cantos-Cantos

Data de Publicação: 2021

Editora: MDPI

Citação: Leitão, N.C., Balsalobre-Lorente, D., Cantos-Cantos, J.M. The Impact of Renewable Energy and Economic Complexity on Carbon Emissions in BRICS Countries under the EKC Scheme. Energies 2021, 14, 4908. https://doi.org/10.3390/en14164908

Resumo: A complexidade económica permite avaliar o desenvolvimento dos países, as relações de inovação e a diferenciação dos produtos. O artigo considera as ligações entre as hipóteses da curva ambiental de Kuznets e a complexidade económica, utilizando dados de painel para o grupo de países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China, e África do Sul) de 1990 a 2015. Como estratégia econométrica, este estudo considerou o painel totalmente modificado de mínimos quadrados (FMOLS), painel dinâmico de mínimos quadrados (DOLS), efeitos fixos (FE), e Painel de Regressão de Quantidade. Os resultados empíricos mostraram que a complexidade económica, o rendimento per capita, a energia renovável e as emissões de dióxido de carbono estão integrados com a primeira diferença quando se aplica o teste de raiz unitária. Foram também utilizados os argumentos dos testes de Pedroni e Kao de cointegração. De acordo com estes resultados, as variáveis utilizadas nesta investigação são cointegradas a longo prazo. Os resultados validaram os argumentos da hipótese do EKC, ou seja, o rendimento per capita e o rendimento quadrático per capita estão positivamente e negativamente correlacionados com as emissões de CO2. Além disso, a complexidade económica e as energias renováveis visam melhorar os danos ambientais e as alterações climáticas.

Identificador: DOI: https://doi.org/10.3390/en14164908

Categoria: Outras publicações

A complexidade económica permite avaliar o desenvolvimento dos países, as relações de inovação e a diferenciação dos produtos. O artigo considera as ligações entre as hipóteses da curva ambiental de Kuznets e a complexidade económica, utilizando dados de painel para o grupo de países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China, e África do Sul) de 1990 a 2015. Como estratégia econométrica, este estudo considerou o painel totalmente modificado de mínimos quadrados (FMOLS), painel dinâmico de mínimos quadrados (DOLS), efeitos fixos (FE), e Painel de Regressão de Quantidade. Os resultados empíricos mostraram que a complexidade económica, o rendimento per capita, a energia renovável e as emissões de dióxido de carbono estão integrados com a primeira diferença quando se aplica o teste de raiz unitária. Foram também utilizados os argumentos dos testes de Pedroni e Kao de cointegração. De acordo com estes resultados, as variáveis utilizadas nesta investigação são cointegradas a longo prazo. Os resultados validaram os argumentos da hipótese do EKC, ou seja, o rendimento per capita e o rendimento quadrático per capita estão positivamente e negativamente correlacionados com as emissões de CO2. Além disso, a complexidade económica e as energias renováveis visam melhorar os danos ambientais e as alterações climáticas.


ISEG - Lisbon School of Economics and Management

Rua Miguel Lupi, nº20
1249-078 Lisboa
Portugal

  +351 21 392 5983 

   comunicacao@cesa.iseg.ulisboa.pt