Categories
Artigos Publicações

The Effects of Corruption, Renewable Energy, Trade and CO2 Emissions




Título: The Effects of Corruption, Renewable Energy, Trade and CO2 Emissions

Autor(es): Nuno Carlos Leitão

Data de Publicação: 2021

Editora: MDPI

Citação: Leitão, N.C. (2021b). The Effects of Corruption, Renewable Energy, Trade and CO2 Emissions (MDPI) 2021, 9 (2), 62. https://doi.org/10.3390/economies9020062

Resumo: A corrupção reflete um conjunto de atividades ilegais que põem em risco o bom funcionamento das economias, da sociedade, e das questões climáticas e ambientais. Este artigo testa as relações entre crescimento económico, corrupção, energias renováveis, comércio internacional, e emissões de dióxido de carbono utilizando dados de painel para países europeus, nomeadamente Portugal, Espanha, Itália, Irlanda, e Grécia, de 1995 a 2015. Como estratégia econométrica, esta investigação utiliza o painel totalmente modificado de mínimos quadrados (FMOLS), painel dinâmico de mínimos quadrados (DOLS), e painel estimador de mínimos quadrados em duas fases (TSLS). Considerando as variáveis utilizadas na investigação e o teste de raiz da unidade de painel, observámos que as variáveis estão integradas I (1) na primeira diferença. As variáveis de corrupção, crescimento económico, energias renováveis, comércio internacional, e emissões de dióxido de carbono são cointegradas a longo prazo, utilizando os argumentos do teste de cointegração residual de Pedroni e Kao. A metodologia de Dumitrescu-Hurlin para testar a causalidade entre emissões de dióxido de carbono, corrupção, crescimento económico e energias renováveis mostra que existe uma causalidade unidirecional entre emissões de dióxido de carbono e corrupção e crescimento económico e corrupção. Os resultados sugerem que o índice de corrupção e o crescimento económico têm um impacto positivo estatisticamente significativo nas emissões de dióxido de carbono. No entanto, as energias renováveis e o comércio internacional reduzem as alterações climáticas e melhoram a qualidade ambiental.

Identificador: DOI: 10.3390/economies9020062

Categoria: Outras publicações

A corrupção reflete um conjunto de atividades ilegais que põem em risco o bom funcionamento das economias, da sociedade, e das questões climáticas e ambientais. Este artigo testa as relações entre crescimento económico, corrupção, energias renováveis, comércio internacional, e emissões de dióxido de carbono utilizando dados de painel para países europeus, nomeadamente Portugal, Espanha, Itália, Irlanda, e Grécia, de 1995 a 2015. Como estratégia econométrica, esta investigação utiliza o painel totalmente modificado de mínimos quadrados (FMOLS), painel dinâmico de mínimos quadrados (DOLS), e painel estimador de mínimos quadrados em duas fases (TSLS). Considerando as variáveis utilizadas na investigação e o teste de raiz da unidade de painel, observámos que as variáveis estão integradas I (1) na primeira diferença. As variáveis de corrupção, crescimento económico, energias renováveis, comércio internacional, e emissões de dióxido de carbono são cointegradas a longo prazo, utilizando os argumentos do teste de cointegração residual de Pedroni e Kao. A metodologia de Dumitrescu-Hurlin para testar a causalidade entre emissões de dióxido de carbono, corrupção, crescimento económico e energias renováveis mostra que existe uma causalidade unidirecional entre emissões de dióxido de carbono e corrupção e crescimento económico e corrupção. Os resultados sugerem que o índice de corrupção e o crescimento económico têm um impacto positivo estatisticamente significativo nas emissões de dióxido de carbono. No entanto, as energias renováveis e o comércio internacional reduzem as alterações climáticas e melhoram a qualidade ambiental.


ISEG - Lisbon School of Economics and Management

Rua Miguel Lupi, nº20
1249-078 Lisboa
Portugal

  +351 21 392 5983 

   comunicacao@cesa.iseg.ulisboa.pt